Ucrânia bloqueia redes sociais russas

Medida contra VKontakte e outras foi tomada por decreto presidencial.
Ukraine: President Poroshenko press conference
Medida foi comentada por presidente ucraniano, de maneira inesperada, pela rede social russa VKontakte. Foto:ZUMA Press/Global Look Press

Nesta terça-feira (17), a Ucrânia ampliou sua lista de sanções contra companhias e cidadãos russos, incluindo deputados, jornalistas, juízes, empresários, bancos, sistemas de pagamento, holdings agrícolas e até a fita de São Jorge, criada para celebrar a vitória russa sobre os nazistas na Segunda Guerra Mundial.

O decreto diz respeito aos serviços do “Mail.Ru Group” e do “Yandex”, entre esses, suas redes sociais “VKontakte” e “Odnoklassniki”, e as ferramentas de busca correspondentes.

Além disso, a lei afeta também dicionários eletrônicos e softwares de reconhecimento de texto via OCR da ABBYY, utilizados por empresas como a Microsoft e a Samsung, o canal de televisão voltado a negócios RBC, que tem reputação como independente do governo russo, programas de contabilidade da companhia “1C”, serviços para chamar táxis etc.

Kiev explica a decisão como uma medida de defesa nacional. “Hoje, devemos nos contrapor à propaganda russa. As sanções foram introduzidas devido ao desrespeito à lei internacional e à violação das fronteiras do país”, declarou o premiê ucraniano, Vladímir Groisman.

O conselheiro do ministro do Interior, Zorian Chkiriak, ressaltou anteriormente que as redes sociais “Odnoklassniki” e “VKontakte” hoje “são totalmente controladas e governadas pelos serviços secretos russos”.

O presidente Petro Poroshenko comentou no próprio VKontakte a decisão: “Ciber ataques massivos da Federação da Rússia em todo o mundo, e particularmente sua intervenção na campanha presidencial na França, mostram que chegou a hora de agir de outra maneira, mais decidida”.

Tanto o “Mail. Ru Group” quanto o “Yandex” expressaram preocupação quanto aos usuários ucranianos, afirmando que financeiramente sua ausência não fará diferença.

Já a rede social “Vkontakte” é a mais popular da Ucrânia, com 16 milhões de visitantes no  país por mês. A audiência do “Odnoklassniki” também é de 9,5 milhões de pessoas mensais, de acordo com dados da Kantar TNS, e a rede fica em décimo lugar no ranking de internet da Ucrânia.

De acordo com o “Mail.Ru Group”, 25 milhões de ucranianos devem ser afetados pela medida. Como essas empresas têm escritórios na Ucrânia, também serão fechados postos de trabalho.

Especialistas ucranianos avaliam as perdas para o país em um bilhão de dólares.

Direitos humanos

Além das perdas financeiras, a medida também gerou críticas dos defensores dos direitos humanos.

“Poroshenko deu um golpe terrível na liberdade de expressão na Ucrânia. Esta é uma violação sem desculpas ao direito à informação de sua escolha para os ucranianos, e a União Europeia e outros parceiros internacionais da Ucrãnia devem pedir que a Ucrânia reverta isso imediatamente”, diz Tanya Cooper, representante ucraniana da organização de direitos humanos Human Rights Watch.

A Rússia, que fez as mesmas críticas ao país vizinho, tem porém mais de 70 mil domínios bloqueados desde 2012, entre eles a rede social Linkedin. 

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook