Catedral de Santo Isaac pode deixar de ser museu

12 de janeiro de 2017 Pável Rítsar
Entrega de edifício à Igreja Ortodoxa Rússia deu origem a protestos e petição contra a transferência. Autoridades garantem, porém, que status da catedral não será alterado.
Santo Isaac é visitada por 3,5 milhões de turistas ao ano Foto:shutterstock

Mais de 100 mil pessoas já assinaram uma petição on-line contra a transferência planejada do museu da Catedral de Santo Isaac, um dos marcos de São Petersburgo e Patrimônio Mundial da Unesco, para a Igreja Ortodoxa Russa. O receio é que o espaço deixe de funcionar como museu após a transição.

“Exigimos que a entrega da Catedral de Santo Isaac à Igreja Ortodoxa Russa seja interrompida”, diz a petição publicada no site change.org dirigida ao governador de São Petersburgo, Gueórgui Poltávtchenko, e ao presidente russo Vladímir Pútin.

Paralelamente, o partido Comunista da Rússia planeja organizar protestos contra decisão em São Petersburgo e do lado de fora do Ministério da Cultura em Moscou.

“Nós respeitamos os sentimentos dos fiéis, mas não podemos concordar com a perigosa tendência de entregar à igreja um número cada vez maior de monumentos de arquitetura, museus e propriedades”, disse o presidente do partido, Maksim Suraikin, de acordo com o site do partido.

O diretor do museu, Nikolai Burov, acredita que a Santo Isaac continuará operando como museu até o final de 2017 e “deixará de existir após sua transferência à Igreja”.

Em entrevista à agência TASS, o governador de São Petersburgo garantiu, porém, que a Santo Isaac manterá suas funções como museu depois de se tornar propriedade da Igreja Ortodoxa Russa e estará aberta a pessoas de todas as religiões.

O futuro do museu foi também reafirmado por seu vice, Mikhail Mokretsov, segundo o qual “o status legal da catedral não vai mudar”.

Pedido antigo e entrega demorada

A entrega do museu da Catedral de Santo Isaac pode levar pelo menos dois a três anos, prevê o diretor do museu.

Segundo Burov, esse tempo é necessário para determinar o futuro da equipe da Santo Isaac, com 393 membros, e de milhares de itens de museu que atualmente fazem parte da propriedade do Estado, além de delinear os planos de remodelação.

“A restauração deve continuar”, disse. “Temos um plano de reforma até 2028, mas devemos levar em conta que esse tipo de trabalho profissional é caro.”

A diocese de São Petersburgo pediu ao governo da cidade que entregasse a catedral à Igreja em 2015, mas o pedido foi rejeitado. Um ano depois, novos pedidos foram enviados ao primeiro-ministro russo Dmítri Medvedev e a Poltávtchenko.

A catedral foi construída entre 1818 e 1858 e transformada em um museu após a revolução bolchevique, em 1917. Os serviços religiosos só foram retomados em 1990.

A Santo Isaac não era, no entanto, propriedade da Igreja Ortodoxa Russa antes da revolução, devido ao alto custo de manutenção. A catedral foi administrada pelo Ministério Imperial das Rotas de Comunicação e Edifícios Públicos até 1871 e depois entregue ao Ministério do Interior do Império Russo.

Mais de 3,5 milhões de turistas visitam a catedral anualmente; peregrinos e fiéis representam cerca de 1% deles, segundo os funcionários do museu.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook