Gastos militares da Rússia estão entre os 3 maiores do mundo

25 de abril de 2017 Nikolai Litôvkin
Em 2016 Rússia assumiu a terceira posição no ranking global de gastos com armamentos, ultrapassando a Arábia Saudita, de acordo com relatório do SIPRI. EUA e China mantiveram as duas primeiras posições; Europa teve aumento nos gastos pelo segundo ano consecutivo.
Army
A Rússia aumentou em 87% os investimentos em defesa desde 2007. Foto:Sergey Pivovarov/RIA Nóvosti

Em 2016 os gastos militares no mundo aumentaram 0,4% em relação a 2015, chegando a US$ 1,69 trilhões, segundo relatório do Instituto de Estocolmo de Pesquisa Internacional da Paz.

Os EUA seguem como o país com o maior orçamento militar. Em 2016 o valor cresceu 1,7%, chegando a US$ 611 bilhões. A China está em segundo lugar, com US$ 215 bilhões, 5,4% a mais do que em 2015. A Rússia vem em terceiro - este ano o país ultrapassou a Arábia Saudita, que agora aparece em quarto. Os gastos da Índia aumentaram 8,5% em 2015, chegando a US$ 55,9 em 2016, colocando o país na quinta posição.

O orçamento russo em 2016 alocou US$ 69,2 bilhões para gastos militares, 5,9% a mais do que em 2015. Segundo o relatório sueco, a Rússia aumentou em 87% os investimentos em defesa desde 2007. No ano passado o setor respondeu por 5,3% do PIB do país.

Os gastos militares também cresceram na Ásia, Oceania, Europa, Norte da África e América do Norte, que viu o primeiro aumento desde 2010.

Por outro lado o orçamento foi reduzido em países com economias baseadas no petróleo, refletindo a queda no preço do barril. Ao lado da Arábia Saudita, os gastos caíram 56% na Venezuela, 54% no Sudão do Sul, 36% no Azerbaijão e 36% no Iraque. Outros países que também tiveram reduções consideráveis foram Equador, Cazaquistão, México e Peru.

“O relatório do SIPRI não é a verdade absoluta. Segundo o Centro de Análises do Comércio Mundial de Armas estamos em 5º, atrás de EUA, China, Arábia Saudita e Reino Unido. Não estamos acelerando nossos gastos em defesa”, disse o editor da revista Natsiolnálnaia Oborona (Defesa Nacional), Ígor Korôtchenko. “Os gastos serão menores após o fim do programas de rearmamento, até 2020, avaliado em 22 trilhões de rublos (US$ 392 bilhões).”

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook