Dez suspeitos já foram detidos por atentado em São Petersburgo

20 de abril de 2017 Oleg Egorov, Gazeta Russa
FSB afirma ter encontrado mandante de explosão no metrô que matou 15 pessoas em 3 de abril
Akram Azimov
Akram Azimov, um dos irmãos apontados como mandantes do ato terrorista em São Petersburgo. Foto:Russian FSB/TASS

O chefe do FSB (“Serviço de Segurança Federal”, órgão que substituiu a KGB), Aleksandr Bortnikov, afirmou à agêncvia Interfax nesta quinta-feira (20) que a agência já identificou o mandante da explosão no metrô de São Petersburgo que matou 15 pessoas em 3 de abril.

De acordo com a investigação, o homem-bomba responsável pela execução da explosão foi o cidadão quirguiz Akbarjon Djalilov.

Abror Azimov, um dos suspeitos, em audiência no tribunal em Moscou. /Foto: ReutersAbror Azimov, um dos suspeitos, em audiência no tribunal em Moscou. /Foto: Reuters

Já em 6 de abril a investigação anunciou ter detido oito pessoas ligadas ao ataque, seis em São Petersburgo e duas em Moscou. Todas elas seriam procedentes da Ásia Central.

Os suspeitos, porém, não confessaram o crime. De acordo com o portal “Gazeta.Ru”, eles negaram envolvimento e posse dar armas que teriam sido encontradas pela investigação. Além disso, o advogado de uma das suspeitas afirma que uma granada foi plantada no seu apartamento durante a busca.

A defesa porém não conseguiu persuadir o tribunal e os suspeitos ficarão detidos por dois meses.

Irmãos Azimov

Em 17 de abril foram divulgadas cenas da detenção do suposto mandante do ato terrorista, Abror Azimov, por agentes do FSB nos arredores de Moscou.

O jornal “Kommersant” divulgou, com base em fonte dos órgãos de segurança que não quis ser identificada, que Abror Azimov era figura-chave da célula terrorista e o único membro com quem o homem-bomba se comunicou antes da explosão.

No tribunal, Abror Azimov confessou a culpa, afirmando, porém, que participou da preparação do ato terrorista de maneira indireta.

“Eu não estava consciente de meu atos. Deram-me comandos e eu cumpri”, disse.

Pouco depois disso, em 19 de abril, seu irmão mais velhos, Akram Azimov foi preso em Moscou. De acordo com a investigação, Akram ajudou financeiramente os terroristas e tinha ligações com os “emissários de organizações terroristas”.

Foto de divulgação da agência de segurança russa FSB durante detenção de Abror Azimov. Mãe de suspeito diz que agentes russos o levaram de Osh, no Quirguistão. / Foto: Russian FSBFoto de divulgação da agência de segurança russa FSB durante detenção de Abror Azimov. Mãe de suspeito diz que agentes russos o levaram de Osh, no Quirguistão. / Foto: Russian FSB

Extradição facilitada?

Abror e Akram são cidadãos russos, mas nasceram e cresceram na cidade de Osh, no sul do Quirguistão.

Seus pais afirmam que eles são inocentes, e a mãe, Vazira Azimova, disse ainda à imprensa quirguiz que Akram estava em Osh no dia 14 de abril, onde passou por uma cirurgia, mas os agentes do FSB o teriam levado de lá. Depois desse dia, Vazira afirma que o filho só reapareceu no dia 19, quando surgiram as notícias de sua detenção em Moscou.

O Comitê Nacional de Segurança do Quirguistão não comentou as declarações de Vazira.

“Não investigamos o caso, e sim o FSB russo, e os suspeitos de quem vocês perguntam também são cidadãos russos”, disse um porta-voz da agência quirguiz ao portal “Gazeta.Ru”. 

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook