Quanto ganha Pútin

17 de novembro de 2016 Tatiana Melikian, Lenta.ru
Rendimentos de governantes e funcionários do Kremlin muda constantemente, mas são tornados públicos desde Iéltsin.
Vladimir Putin
Salário de presidente russo saltou de US$ 9,5 mil, em 2013, para cerca de US$ 11,5 mil. Foto:Mikhail Metzel/TASS

Em 2013, o salário do presidente da Rússia, Vladímir Pútin, era de 306 mil rublos (cerca de US$ 9,5 mil) por mês. Em doze meses, o presidente ganhou mais de US $ 115 mil. No ano seguinte, os lucros de Pútin cresceram drasticamente, ultrapassando os US$ 16 mil por mês.

Mas, na primavera de 2015, o salário de Pútin teve um corte de 10%, devido às fortes flutuações do rublo. Ainda assim, no ano passado, ele ganhou quase US$ 137 mil.

O salário do presidente russo sempre foi um dos mais baixos de todos os funcionários do Kremlin. No entanto, Pútin mostrou diversas vezes que não tem interesse no dinheiro que recebe.

"Sinceramente, não sei qual é o meu salário [...] Enviam-no para mim e eu o transfiro para a minha conta sem contar", declarou Pútin durante uma entrevista ao canal de televisão estatal Pérvi, em dezembro de 2014.

Em 1997, foi o então presidente Boris Iéltsin quem forçou os funcionários do Estado a revelar publicamente suas renda. Iéltsin foi o primeiro a tornar públicos seus rendimentos, em 1998. Seus ativos e receita total foram estimados em US$ 325 mil.

Modestia dos secretários-gerais

Após o colapso da União Soviética, os historiadores tiveram acesso a informações sobre os salários dos líderes soviéticos, então, os "secretários-gerais" do Partido Comunista.

Iéltsin foi o primeiro governante russo a tornar públicos seus rendimentos / Aleksandr Tchumitchev/TASSIéltsin foi o primeiro governante russo a tornar públicos seus rendimentos / Aleksandr Tchumitchev/TASS

"Em dezembro de 1947, Stálin, como presidente do Conselho de Ministros, recebia um salário de 10 mil rublos. Mas não se sabe se esse montante inclui seu salário como secretário do Comitê Central, que era de 8 mil rublos", diz o historiador Oleg Khlevniuk, especialista nos estudos da era Stálin.

Além disso, o secretário-geral também recebia renda pela venda de seus livros e trabalhos científicos. Sabe-se que Stálin enviou a seus amigos de infância, na Geórgia, uma enorme quantidade de dinheiro: 40 mil rublos.

Para efeitos de comparação, o rendimento anual de um cidadão soviético nesse período era de cerca de 7.200 rublos, ou seja, cerca de 600 rublos por mês. Em 1950, os camponeses recebiam menos de 100 rublos por mês.

Mas Khlevniuk recomenda que não se preste muita atenção aos salários oficiais dos líderes soviéticos. A manutenção de suas casas e datchas (casas de campo), segurança e serviços custavam milhões de rublos.

"Depois de 1947, meu pai sempre perguntava durante nossos raros encontros: 'Você precisa de dinheiro?'. Eu sempre respondia: 'Não'”, escreva em sua autobiografia a filha de Stálin, Svetlana Allilúeva.

“'É mentira. De quanto precisa?', perguntava Stálin. Eu não sabia o que dizer. Ele não estava ciente do valor do dinheiro, nem dos preços. Ele vivia com a ideia pré-revolucionário de que cem rublos era uma quantia colossal. Quando me dava dois ou três mil rublos [...] ele pensava que estava me dando um milhão".

 "Todos os seus salários acumulavam-se por meses sobre a mesa. Ele nunca gastou dinheiro-  e nem tinha como. Sua residência de verão, a casa, os serviços, a comida e as roupas eram pagos pelo Estado", escreveu Allilúeva.

Artigo reduzido. Publicado originalmente pelo portal Lenta.ru.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook