URSS não pode ser restaurada, mas é preciso integração, diz Peskov

22 de dezembro de 2016 ITAR-TASS
Porta-voz do Kremlin lamentou queda do regime e apontou para novas associações, como a Comunidade dos Estados Independentes e a Comunidade Econômica Eurasiática.
Presidential press secretary Dmitry Peskov said that in view of the good relations between Moscow and Athens, Russia is willing to offer support to the Greek economy. Source: Reuters
Peskov: “A lógica dita a necessidade de uma nova integração no espaço da ex-URSS” Foto:Reuters

A União Soviética não pode ser restaurada, embora sua desintegração tenha sido um desastre, declarou o porta-voz do Kremlin, Dmítri Peskov, em entrevista ao canal de TV Mir na quarta-feira (21).

 “[O presidente russo Vladímir] Pútin ainda acredita que [a desintegração da União Soviética] foi um desastre para os povos que viviam sob o telhado de um Estado unido”, disse Peskov.

“Foi um desastre que atravancou nosso desenvolvimento. Todos os países que agora são independentes ficaram décadas para atrás após a ruína da União Soviética”, acrescentou.

O porta-voz da presidência disse ainda que a lógica dos acontecimentos sugere a necessidade de uma nova integração no espaço pós-soviético.

“Vocês veem por si mesmos que é impossível falar de qualquer processo de reversão. (...) Mas a lógica dita a necessidade de uma nova integração no espaço da ex-URSS.”

Entre as associações já existentes, Peskov destacou a CEI (Comunidade dos Estados Independentes) e a Comunidade Econômica Eurasiática.

“[A Comunidade Econômica Eurasiática] é uma nova associação, que está em processo de eu desenvolvimento, e, portanto, ainda não podemos aproveitar seu potencial plenamente, mas há os primeiros sinais disso”, disse o porta-voz.

“É natural que alguns paralelos com a União Europeia possam e devam, talvez, ser elaborados. Afinal, o bloco europeu se desenvolve há décadas e apresenta muitos problemas.”

Com a agência de notícias Tass

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook