Pútin ameaça demitir funcionários públicos na Academia de Ciências

25 de novembro de 2016 Anastassia Mámina, Izvéstia
Presidente russo relembrou da proibição de acúmulo de cargos
putin berlin
Pútin: "Funcionários públicos que têm escrúpulos no trabalho não conseguem cumprir ambas as funções". Foto:Kremlin.ru

Na última quarta-feira (23), o presidente russo Vladímir Pútin anunciou que irá substituir funcionários públicos em cargos de gerência do Estado, de uma série de ministérios e do FSB (órgão que substituiu a KGB) que tiverem se tornado acadêmicos ou membros-correspondentes da Academia Russa de Ciências, indo contra sua determinação expressa de não acumular ocupações científicas e de serviços estatais.

Durante reunião do Conselho para Ciências e Educação, Pútin exigiu que o chefe da Academia Russa de Ciências, Vladímir Fórtov, esclarecesse como foram escolhidos membros da academia entre funcionários públicos, apesar de sua recomendação contrária a essa prática. Fórtov disse que os pretendentes à academia corresponderam a todas as exigências.

Pútin pediu, ainda em 2015, que Fórtov não permitisse a participação de funcionários públicos nas eleições para novos membros da Academia de Ciências da Rússia.

"Do contrário, eles não conseguem cumprir suas obrigações de serviço e só podem fazer pesquisas científicas em seu tempo livre - o que realmente não sobra para aqueles que têm escrúpulo no trabalho em tarefas administrativas", explicou o presidente russo.

Fórtov declarou que todos os funcionários adimitidos na academia recentemente disseram ter recebido permissão do governo. Porém. a resposta não foi considerada satisfatória pelo presidente.

Anteriormente, o jornal Izvêstia reportou que alguns funcionários públicos participaram, apesar da proibição presidencial, das eleições para membros da Academia Russa de Ciências. Entre os candidatos, constava a ministra da Saúde, Verônika Skvortsóva.

Com o jornal Izvêstia.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook