Zenit Arena Stadium celeryinstagram Prokudin Gorsky now and than
Custo de estádios para Copa de 2018 ultrapassa os US$ 2 bi Lago Baikal, uma fonte de vida à beira da morte

O Império da Vodca (ou uma história de meio milênio)

Junte-se à Gazeta Russa em uma excursão pela história da vodca russa, desde a sua concepção até a produção em massa sob os tsares.
De Sydney Vicidomini, especial para Gazeta Russa
Desça a página para ver mais

Arquivo

Bem-vindo à fábrica de vodca da empresa Keller & K°, fundada por um cidadão russo com raízes alemãs. Foi inaugurada em 1863 na esquina onde hoje fica a margem do Obvodny Canal e a rua Zaozernaya, em São Petersburgo.

Arquivo

Inaugurou no mesmo ano – 1863 – que o monopólio estatal introduzido pela imperatriz Elizabeth em 1751 deixou de funcionar. Embora o monopólio e a propaganda de vodca fabricada pelo Estado tivesse tornado a bebida popular, a liberalização comercial fez com que os preços caíssem significativamente, permitindo sua compra até por cidadãos de baixa renda. // Instalações para o processo de destilação na Keller & K°.

Arquivo

Segundo a lenda, a primeira receita de vodca foi criada por volta de 1430 por Isidoro, um monge que vivia dentro do Mosteiro Tchudov, no Kremlin de Moscou. A bebida era feita por meio da destilação de cereais fermentados e não era tão forte como a versão atual – o teor alcoólico nunca excedia os 40%. // Laboratório.

Arquivo

A palavra vodca, usada para definir a bebida hoje, só foi registrada em 1751, quando o monopólio estatal iniciou as suas operações. ‘Vodca’ é uma versão diminuta da palavra eslava ‘voda’, ou ‘água’, em português. A palavra era originalmente usada para descrever as infusões médicas com até 75% de álcool. // Oficina para preparação de embalagens no Armazém Estatal de Vinho nº 1.

Arquivo

Keller e K° foi escolhido para representar a indústria do álcool russa na exposição universal de Paris, apenas quatro anos depois do início de suas atividades. Os primeiros produtos incluíam álcool de cereais, menta, anis, laranja, absinto e os chamados ‘licores imperiais’, entre outros. // Trabalhadores engarrafam vodca.

Arquivo

Até 1892, Keller e K° já tinha cinco lojas só na capital e seus produtos eram vendidos também no exterior. // Mulheres rotulam garrafas antes de entregá-las ao mercado.

Arquivo

Este é o salão onde as vodcas de frutas eram engarrafadas na Keller e K°.

Arquivo

Trabalhadores aguardam pelo almoço no salão de refeições do Armazém Estatal de Vinho nº 1. A Keller e K° empregou cerca de 380 pessoas no seu auge.

Arquivo

Estas mulheres são responsáveis pelos procedimentos sanitários no Armazém Estatal de Vinho nº 2.

Arquivo

Aliás, durante o Império Russo, o governo costumava arrecadar até 40% de sua receita por meio da tributação de álcool. // Na foto, vê-se o escritório de contabilidade do Armazém Estatal de Vinho nº 1.

Arquivo

Em 1911, Keller e K° foi premiado com o grande prêmio na exposição universal, em Turim. Depois de vencer vários concursos, este seria o último prêmio principal da empresa. Por ironia do destino, o prêmio precedeu leis proibitivas introduzidas na Rússia no início da Primeira Guerra Mundial // Adega.

Arquivo

Hoje em dia, a vodca constitui cerca de 70% de todo o álcool consumido na Rússia. // Trabalhadores embalam o produto final no Armazém Estatal de Vinho nº 4.
4 de julho de 2016
Tags: vodka, fábrica

leia mais

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook