Chile é destaque em maior feira de alimentos da Rússia

12 de fevereiro de 2017 Ígor Rôzin, Gazeta Russa
País latino-americano tem se beneficiado com exportações de vinho e peixe devido a sanções. Brasil também esteve representado na 24ª edição da Prodexpo, em Moscou.
Estande do Chile na Prodexpo-2017, em Moscou Foto:Daria Ksenofóntova

A recente edição da Prodexpo, a feira internacional de alimentos mais importante da Rússia, esteve amplamente representado por países latino-americanos, como Argentina, Brasil, Chile, Uruguai e Paraguai.

O destaque do evento, que chegou ao fim na sexta-feira (10), ficou, porém, com as novas empresas chilenas de vinho, carne, produtos do mar e massas de tomate.

Segundo José Campusano, comissário de comércio do Chile na Rússia, o peixe, sobretudo salmão e truta, ainda é o principal produto de exportação chileno ao país eslavo. Estima-se que 96% de salmão vendido na Rússia seja oriundo do Chile.

“Os russos são grandes consumidores de salmão, e, de certo modo, o Chile se beneficiou das sanções. A oferta do que oferecemos corresponde exatamente ao que a Rússia precisa. Boa qualidade e preço justo”, diz Campusano.

Outro produto de destaque entre os chilenos é o vinho. No ano passado, as exportações da bebida para a Rússia cresceram em quase 6%.

Vinho chileno só perde para peixe em apelo junto ao mercado russo (Foto: Daria Ksenofóntova)Vinho chileno só perde para peixe em apelo junto ao mercado russo (Foto: Daria Ksenofóntova)

“Temos terras extraordinárias para a produção de vinho. Além disso, o Chile é inovador em tecnologia e ciência de produção de alimentos. Portanto, nossos produtos são de alta qualidade”, afirma o comissário, acrescentando que os vinhos chilenos são capazes de competir com grandes produtores como França, Itália e Espanha.

“Também vale a pena mencionar que nosso país é uma ‘ilha ecológica’, pois tem fortes barreiras que impedem a passagem de doenças: o gigantesco e árido Deserto de Atacama no norte; a Antártida no sul; uma imensa cadeia de montanhas no leste, e o Pacífico a oeste. Como resultado, os produtos chilenos são ecologicamente limpos.”

As relações econômicas Santiago-Moscou sofreram uma queda em 2015, mas foram recuperadas no ano passado.

“Acreditamos que 2017 será um bom ano. Além disso, a Rússia está crescendo na Ásia e queremos acompanhá-la nesse processo”, conclui Campusano.

Quase 2.200 empresas de 57 países participaram da Prodexpo-2017. A feira aconteceu em uma área de 100 mil metros quadrados na capital russa.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook