Kremlin não discutirá com EUA critérios para alívio de sanções

6 de fevereiro de 2017 Ígor Rôzin, Gazeta Russa
Donald Trump havia afirmado que poderia retirar sanções à Rússia caso o país se comprometesse a reduzir arsenal nuclear. Para vice-ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Serguêi Riabkov, país não vai sequer considerar a discussão, já que não concorda com desarmamento unilateral.
Riabkov: “O que ocorre é que temos que nos desarmar unilateralmente” Foto:Xinhua/Global Look Press

Moscou não vai sequer discutir os critérios para remoção de sanções anti-Rússia com Washington, afirmou Serguêi Riabkov, vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, em uma entrevista para a revista “Security Index” do PIR Center.

“Nós não vamos pedir para que eles cancelem (as sanções) ou mesmo discutir o critério para retirar sanções. Nós nunca fizemos isso antes”, afirmou.

Aliviar sanções em troca da redução do armamento nuclear por parte a Rússia é “totalmente impraticável”, segundo Riabkov “Primeiramente, nós não discutimos sanções e não vamos discuti-las agora”, disse. “Em segundo lugar, como poderíamos “trocar” a retirada de sanções por desarmamento?”.

“O que ocorre é que temos que nos desarmar unilateralmente. É um início nada promissor”, adicionou.

Relações com Washington sob Trump

Moscou não alimenta ilusões de que uma “nova vida” começará em suas relações com os Estados Unidos com a chegada de Donald Trump ao poder, afirmou Riabkov.

"Qualquer que seja o resultado, é importante que sejamos realistas na avaliação da situação e que não procuremos olhar para o futuro diálogo com óculos cor de rosa", disse o diplomata. "Eu garanto que não temos ilusões de que, com a ascensão de Trump ao poder, uma nova vida começará ou tudo virará 180 graus", acrescentou.

O diplomata expressou a esperança de que "as mudanças na Casa Branca permitirão reverter a tendência perigosa para a deterioração dos laços russo-americanos".

Ele destacou que a Rússia observou cuidadosamente o que Trump falou e fala sobre o país e “avaliou positivamente suas palavras no sentido da necessidade de se estabelecer um diálogo normal”. A intenção dos dois lados de corrigir a situação insatisfatória em assuntos bilaterais foi confirmada em conversações telefônicas entre Trump e o presidente russo Vladímir Pútin.

"Quanto à nossa abordagem, o presidente russo salientou muitas vezes que estamos abertos para a cooperação pragmática com Washington em todas as questões", disse Riabkov.

Esta cooperação deve basear-se no "equilíbrio de interesses e sem tentativas de chantagem e imposição de um sobre o outro", disse ele. "Precisamos monitorar e analisar as ações práticas da nova administração".

Com as agências de notícias

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook