Sanções transformam empresário da pesca no mais novo bilionário russo

30 de janeiro de 2017 Eleonora Goldman, Gazeta Russa
Banimento de importação de alimentos estrangeiros, introduzido pelo Kremlin em resposta às sanções dos EUA e UE, alavancou consumo no mercado interno.
Orlov em frente a embarcação para pesca no cais de Murmansk, no Extremo Oriente russo Foto:Getty Images

A agência de notícias Bloomberg, especializada em mercado financeiro, anunciou o surgimento de um novo magnata na Rússia: Vitáli Orlov, coproprietário da gigante de pesca Karat Holding, estimada em US$ 1 bilhão.

“Orlov construiu uma fortuna que Bloomberg Billionaires Index [Índice de Bilionários da  Bloomberg] estima em US$ 1 bilhão, beneficiando-se das forças de colisão do comércio global e das sanções que hoje marcam a Rússia de Vladímir Putin. Embora 60% das vendas de sua empresa sejam feitas para fora do país, observou-se um aumento no consumo interno, uma vez que as sanções limitam as importações de alimentos”, escreveu a Bloomberg.

Como resultado, a Norebo Holding, que faz parte da Karat, começou a atender a demanda interna de carapau, arenque e capelim (Mallotus villosus) sem reduzir o volume de suas exportações de peixe.

Orlov trabalha na indústria pesqueira desde 1993 e, embora seja o mais novo bilionário russo, seu nome não consta nas listas de empresários mais influentes.

Sua primeira empresa, a Ocean Trawlers – juntamente com a Norebo, agora parte da Karat – foi fundada quatro anos depois. O empresário também está no comando de outras duas companhias, a Murmansk Trawling Fleet (Frota de Pesca com Arrastão de Murmansk) e a empresa de capital aberto Rybprominvest.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook