País quer autossuficiência em alimentos até 2023

Ministro da Agricultura russo Aleksandr Tkatchev declarou Rússia não precisará mais importar alimentos
Agriculture Minister Alexander Tkachev
Segundo ministro da Agricultura, Aleksandr Tkachev (foto), será preciso construir 160 fazendas leiteiras por ano no país para se dispensar as importações. Foto:Mikhail Metzel/TASS

Durante os próximos sete anos, a Rússia deve se tornar completamente autossuficiente em produtos agrícolas básicos, disse, na última quarta-feira (14), o ministro da Agricultura do país, Aleksandr Tkatchev.

Segundo ele, o país bateu o recorde pós-soviético neste ano, produzindo cerca de 117 milhões de toneladas de grãos.

“Em 1978, a URSS produziu 127 milhões de toneladas de grãos, mas seu território era significativamente maior, com 78 milhões de hectares, enquanto hoje temos 47 milhões de hectares”, disse Tkatchev.

Das 117 milhões de toneladas de grãos, 72 milhões são de trigo. "Somos autossuficientes em trigo de alta qualidade, e a Rússia é líder mundial de exportação desse produto”, disse.

Em 2016, o país exportou 35 milhões de toneladas de grãos. Além disso, Moscou pretende aumentar a exportação de carne até 2020, chegando a um milhão de toneladas, e se inserindo no mercado asiático e no Golfo Pérsico.

“Exportamos 150 mil toneladas de carne nos primeiros nove meses de 2016, ou seja 60% mais que no mesmo período do ano passado", disse o ministro.

“Para alcançar a autossuficiência total no leite, é preciso aumentar sua produção para cinco a sete milhões de toneladas por mês. Isso significa que, até 2020, precisamos construir mais de 800 fazendas leiteiras, ou seja, 160 fazendas por ano”, completou Tkachev.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook