Como a vitória de Trump afeta a economia

10 de novembro de 2016 Aleksêi Lossan, Gazeta Russa
Índices econômicos norte-americanos e globais caíram após anúncio de vitória de Donald Trump. Mas na Rússia ocorre o inverso: ações estão subindo e russos esperam levantamento das sanções financeiras
Donald Trump
Diferentemente de China e UE, Rússia vê positivamente eleição de Trump. Foto:Reuters

Na abertura das negociações na Bolsa de Valores de Moscou na quarta-feira (9) pela manhã, um dos principais índices do país, o MICEX, caiu 1,44%, chegando aos 1.939 pontos.

Mas, ao meio-dia, a situação mudou, e o índice subiu 1,7%, ultrapassando os 2.000 pontos - o que vai contra as tendências de todos os mercados globais.

Especialistas explicam que os investidores internacionais temem a instabilidade devido a possíveis mudanças na política externa dos EUA. Para a Rússia, porém, a eleição de Trump significa uma possível mitigação do regime de sanções.

“Além disso, os mercados russos se abriram após o anúncio dos resultados das eleições e foram afetados pela correção dos preços do petróleo, ouro, dólar, e contratos de futuros para os índices norte-americanos. Por isso, a reação do índices russos e do rublo foi moderada ", diz o analista da consultoria TeleTrade, Aleksandr Egorov.

Reação negativa

A primeira reação dos investidores internacionais à eleição de Trump foi negativa devido a diversas declarações do novo presidente durante a campanha eleitoral.

"A eleição de Donald Trump é o início da incerteza nos mercados financeiros de longo prazo", diz o diretor regional da consultoria de investimentos eToro na Rússia, Pável Salas.

Segundo ele, o comportamento imprevisível do bilionário força os investidores a sair de ativos mais arriscados e esperar ações mais óbvias.

Segundo seu programa econômico e declarações, Trump apoia a limitação do comércio com a China.

Além disso, para ele, existem riscos de suspensão das negociações sobre a zona de comércio livre com a União Europeia.

“Esses passos levam ao arrefecimento da economia mundial no curto prazo”, diz o analista financeiro da holding Finam, Timur Nigmatúllin.

"Levando em conta que, durante as últimas décadas, a economia mundial cresceu com a redução das barreiras comerciais e o aumento da concorrência, essas iniciativas governamentais provocarão uma regressão drástica", diz o analista de mercados da corretora Otkrítie Brocker, Dmítri Danílin.

Perspectivas de longo prazo

Diferentemente do que representa para a China ou a União Europeia, a eleição de Trump tem significado positivo na Rússia.

Segundo o chefe do departamento de comércio da consultoria de investimentos Liberty Finance, Ígor Kliuchnev, Trump não deve ampliar as sanções financeiras contra a Rússia, mas sim contribuir para seu levantamento.

Mas, de acordo com Egorov, afirmações de campanha de Trump não são, necessariamente, passos concretos do governo americano.

"De qualquer maneira, 2017 será um ano de mudanças para a economia mundial devido às consequências do Brexit e da nova política norte-americana", conclui Egorov.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook