Medvedev confirma pressão de sanções e exige regulação da internet

20 de maio de 2016 Aleksêi Lossan, Gazeta Russa
Para premiê russo, comunidade global deve agir em conjunto para enfrentar desafios, uma vez que frequentes sanções contradizem os acordos internacionais.
Medvedev: “Estamos prontos para provar os valores básicos de nossa civilização” Foto:Artiom Geodakian/TASS

O primeiro-ministro russo, Dmítri Medvedev, admitiu que, nos últimos dois anos, a Rússia está sentindo o efeito das sanções impostas pelo Ocidente.

“Nossas empresas e cidadãos estão sob pressão devido às sanções financeiras”, disse o chefe do governo russo, durante sessão plenária do Fórum Legal Internacional de São Petersburgo.

“A Rússia está pronta para provar os valores fundamentais de nossa civilização, mas só poderá fazer isso com a colaboração de outros países. Precisamos ter confiança para resolver os problemas globais”, declarou.

Para ele, o papel das restrições unilaterais, incluindo as sanções, está crescendo no mundo. “As sanções estão se tornando cada vez mais frequentes. As tentativas de ‘empurrar’ as sanções em diferentes lugares do mundo contradizem todos os acordos internacionais.

“O nosso sistema permanece aberto à execução de sentenças de arbitragem estrangeiras, caso elas não sejam contrárias à ordem pública russa”, disse. No entanto, segundo o premiê, alguns investidores usam o “véu da jurisdição estrangeira” para pressionar as autoridades russas.

Regulamentação da internet

De acordo com o premiê, o caminho a ser tomado pela legislação é sua expansão para incluir novas indústrias, principalmente a internet. “Os instrumentos jurídicos devem corresponder à nova era digital, incluindo a proteção dos direitos de propriedade intelectual”, afirmou.

No último dia 13 de maio, o Ministério das Comunicações russo publicou um novo programa estatal que prevê que, até 2020, a infraestrutura digital do país seja seja capaz de trabalhar de forma autônoma.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail? 
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook