Congresso dos EUA coloca Rússia em 3° lugar no comércio de armas

Informação contradiz dados apresentados por Pútin em março de 2016.
The Rosoboronexport
Para analista, Rússia caiu porque vendas de equipamentos 'top secret' não entraram no cômputo. Foto:Evgeny Biyatov / RIA Novosti

O Congresso dos Estados Unidos listou os líderes globais em comércio de armas em 2015: em primeiro lugar, ficaram os próprios Estados Unidos, que venderam US$ 40 bilhões em armas, e, em segundo, a França com um total de US$  bilhões em vendas no setor.

Além disso, ambos os países aumentaram as vendas em relação ao ano anterior - em US$ bilhões e US$ 9 bilhões, respectivamente. Os dados do Congresso foram divulgados pelo jornal The New York Times na segunda-feira (26).

A Rússia ficou em terceiro lugar no ranking, com um total de US$ 11,1 bilhões em 2015, ou seja, 100 milhões menos que em 2014.

Mas os cálculos do Congresso contradizem bastante os apresentados pelo presidente russo Vladímir Pútin no início do ano. Em março de 2016, durante uma sessão da Comissão de Cooperação Técnico-Militar Com Países Estrangeiros, Pútin afirmou que as exportações militares da Rússia em 2015 chegaram aos US$ 14,5 bilhões, "excedendo todas as expectativas".

 As contradições entre os índices do Congresso dos EUA e os do Kremlin podem ser explicadas pela grande quantidade de acordos secretos, diz o analista militar Viktor Murakhovski.

"Uma série de suprimentos russos é classificada como 'top secret' e não é divulgada no mundo todo. Apesar disso, a agência estatal de exportação de armamentos Rosoboronexport e o Centro Russo para Análises Estratégicas e Tecnológicas apresentou um relatório detalhado das vendas de armamentos à administração presidencial. É por isso que nossa credibilidade é maior", disse Murakhovski.

Segundo ele, a França realmente fechou acordos bem-sucedidos em 2015, relativos ao suprimento de submarinos e aviões.

"A posição deles melhorou no ranking de exportações, mas eu não acho que eles tenham passado a Rússia", diz o analista.

Em fevereiro de 2016, durante apresentação no Instituto Internacional de Estocolmo de Pesquisas de Problemas Mundiais (SIPRI) sobre o assunto, afirmou-se que a Rússia está em segundo lugar - atrás apena dos EUA - entre o maiores exportadores de armas mundiais e concentra 25% das exportações totais, de acordo com o jornal econômico RBC. Além disso, a parcela russa nas exportações teria aumentado 3% nos últimos cinco anos.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook