'Buraco negro', o submarino russo da nova geração

1 de dezembro de 2016 Nikolai Litôvkin, Gazeta Russa
Kólpino (projeto 636.3) pode detectar alvos em distâncias três ou quatro vezes maiores que os radares de potenciais inimigos.
submarine to the Russian Navy
O submarino ficará baseado em base naval ainda em construção na cidade de Novorossiisk, no sul do país. Foto: Alexei Danichev/RIA Novosti

As empresas do complexo militar-industrial da Rússia finalizaram a construção do sexto submarino a diesel-elétrico da nova geração Kólpino (projeto 636.3), que servirá na Frota do Mar Negro.

O submarino está equipado com mísseis de cruzeiro atualizados Kalibr-PL, com um alcance efetivo de até 2,5 mil quilômetros.

O submarino ficará baseado em base naval ainda em construção na cidade de Novorossiisk, no sul do país.

Segundo o ex-comandante da Frota do Mar Negro, Ígor Kassatonov, o submarino pode detectar alvos em distâncias três ou quatro vezes maiores  que os radares de inimigos potenciais.

Devido a suas capacidades furtivas, os submarinistas da Otan apelidaram a nova embarcação de "Buraco Negro".

"As capacidades de combate desse novo tipo de submarinos foram demonstradas pela primeira vez no final do ano passado, quando o submarino 'Rostov-no-Don' atacou terroristas na Síria com mísseis Kalibr", diz Kassatkin.

Fonte: YouTube/Ministério da Defesa da Rússia

Quando o Kólpino entrar em funcionamento, a Frota Russa do Mar Negro completará a formação de uma brigada de submarinos de pleno direito baseada em Novorossiisk.

De acordo com Kassatonov, o Ministério da Defesa pretende construir mais seis submarinos do mesmo tipo para a Frota do Oceano Pacífico até 2020.

Razões para a construção de uma nova base naval

Infográfico: Nikolai KoroliovInfográfico: Nikolai Koroliov

Características técnicas
• classificação da Otan - Improved Kilo;
• velocidade na superfície - 17 nós;
• velocidade subaquática - 20 nós;
• profundidade operacional - 240 m.;
• profundidade máxima de mergulho - 300 m. ;
• autonomia - 45 dias;
• Tripulação - 52 homens.

Inicialmente, a base em construção em Novorossiisk, na costa do Mar Negro, foi planejada devido aos desentendimentos nas relações russo-ucranianas após a dissolução da União Soviética. Desde 1991, a base naval de Sevastópol na Crimeia, que fazia parte da Ucrânia, foi alugada por Moscou. Mas qualquer atualização da frota (até a entrega de novas munições) tinha que ser acordada com o parlamento ucraniano.

Após a integração da Crimeia em 2014, o governo russo começou a modernização da Frota do Mar Negro.

"A baía de Sevastópol cria oportunidades únicas para Moscou. Junto com a nova base em Novorossisk, a Rússia pode controlar o Bósforo, a infraestrutura militar na Bulgária e neutralizar as ameaças da base de defesa antiaérea dos EUA na Romênia", explica o observador militar da agência de notícias Tass, Víktor Litôvkin.

De acordo com o diretor do Instituto de Análise Política e Militar da Rússia, Aleksandr Khramtchíkhin, a principal ameaça na Europa Oriental para o país é a possibilidade de transformação da base de defesa antiaérea norte-americana em uma base militar ofensiva.

Armamento:
- 4 mísseis de cruzeiro da classe Kalibr-PL;
- 6 tubos de torpedos de calibre de 533 mm.;
Munições totais - 18 torpedos e 24 minas.

"É possível colocar mísseis de cruzeiro em lançadores da base de defesa antiaérea. Os lançadores Standard SM-3 podem ser usados para projetar mísseis estratégicos de cruzeiro Tomahawk", disse Khramtchíkhin.

A principal vantagem da nova base da Frota do Mar Negro é a possibilidade de dividir os navios e submarinos entre várias bases navais na mesma região. Mas o território da base em Novorossisk é muito suscetível ao clima.

"As condições climáticas representam o principal problema da nova base. Devido às montanhas do Cáucaso, a zona marítima de Novorossisk sofre regularmente com os ventos do norte, que afetam navios e edifícios e podem até destruir a infraestrutura militar", disse Litôvkin.

Segundo ele, a Rússia está construindo um novo túnel nas montanhas do Cáucaso para minimizar a ameaça de ventos destrutivos.

O armamento dos submarinos Projeto 636.3 é acomodado em seis tubos para torpedos de 533 milímetros. Os dois tubos superiores podem ser usados também como lançadores de mísseis 3M-54 Klub. O compartimento permite transportar até 18 torpedos ou mísseis.

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook