Brasil registra casos de suicídios relacionados ao “Baleia Azul”

17 de abril de 2017 Maria Azálina, Gazeta Russa
Jovens de Minas e Mato Grosso morreram, enquanto criança da Paraíba se mutilou.
portrait of young girl
A imprensa tem alertado os pais a acompanharem de perto os filhos, principalmente se seu comportamento mostrar qualquer relação com o jogo mortal. Foto:Getty Images

Na última sexta-feira (14), a agência Tass divulgou que pelo menos três Estados brasileiros abriram casos criminais após mutilações e suicídios sob a influência de “tarefas” estipuladas pela internet, provavelmente conectadas com o jogo russo “Baleia Azul”. 

Assim, durante a investigação do suicídio de uma jovem de 16 anos no Mato Grosso, foram encontradas anotações sobre as regras do jogo.

A adolescente, segundo os escritos encontrados, devia realizar as seguintes tarefas: abraçar os pais, pedir perdão e tirar a própria vida.

Pouco tempo antes do suicídio, a jovem já vinha realizando automutilação, com cortes nos braços e nas pernas.

Em Minas Gerais também se investiga a morte de um rapaz de 19 anos, cuja mãe alega estar envolvido com o jogo.

A mulher relata que o filho recebeu tarefas como “fazer selfies em um cinema assistindo a um filme de terror”, “subir no telhado de um edifício alto” e "fazer com uma gilete o desenho de uma baleia no braço".

De acordo com a polícia de Minas Gerais, o jovem participava de um grupo social na internet ligado ao “Baleia Azul” que reúne jovens de 10 a 20 anos de idade de todo o Brasil.

O terceiro caso foi registrado na Paraíba, onde um aluno do ensino médio de Joaão Pessoa já estaria realizando as tarefas de automutilação determinadas pelo jogo “Baleia Azul”.

A imprensa tem alertado os pais a acompanharem de perto os filhos, principalmente se seu comportamento mostrar qualquer relação com o jogo mortal.

Incentivar o suicídio é crime no Brasil, e pode render de dois a seis anos de prisão. 

De acordo com o Comitê Investigativo da Rússia, desde dezembro de 2013, foram criados oito grupos virtuais fechados na rede social local “Vkontakte” em que se propagandeava o suicídio entre adolescentes e adultos.

Eles foram apelidados pela imprensa russo como “grupos da morte”.  

O comitê também divulga que 15 adolescentes participantes desses grupos de diferentes regiões da Rússia cometeram suicídio e cinco crianças realizaram tentativa de suicídio.

Com a agência Tass.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook