Hermitage é o melhor museu na Europa, segundo TripAdvisor

15 de setembro de 2016 Ígor Rôzin, Gazeta Russa
Atração turística figura em 3º lugar na classificação mundial e é considerada “uma das principais razões para visitar a Rússia e São Petersburgo”.
Museu na capital cultural da Rússia atrai 2,5 milhões de visitantes ao ano Foto:Reuters

O Museu Hermitage, em São Petersburgo, foi mais uma vez votado como o melhor museu na Europa, de acordo com usuários do portal TripAdvisor.

Na classificação geral, porém, o ponto turístico ficou em terceiro lugar.

“O Museu Hermitage repetiu o sucesso de 2014 e tornou-se não só o melhor museu na Rússia e na Europa, mas também um dos três líderes mundiais”, lê-se em nota no site.

Segundo o portal, os vencedores foram escolhidos por um algoritmo especial que avaliou a quantidade e a qualidade dos comentários e rankings dos museus em diversos países com base em informações recolhidas nos últimos 12 meses. 

Entre os comentários de estrangeiros, destaca-se o fato de o Hermitage ser “uma das principais razões para visitar a Rússia e São Petersburgo”.

A lista global é encabeçada pelo Metropolitan Museum de Nova York,  seguido pelo Art Institute of Chicago, ambos localizados nos EUA.

Eclipse cultural

O Hermitage, que surgiu como um enorme complexo residencial para os tares russos, foi construído na segunda metade do século 18 por um decreto da imperatriz Elisabeth, a filha de Piotr, o Grande.

Como o objetivo da construção era eclipsar todos os palácios reais da Europa, mármore e pedras preciosas e semipreciosas não foram poupadas em seus interiores.

Com o tempo, o Hermitage passou a abrigar coleções de arte, tanto da realeza como particulares, que chegavam de todos os cantos da Rússia.

Após a revolução de 1917, o Palácio de Inverno deu espaço a um novo museu público que apresentava o patrimônio cultural do mundo desde os tempos remotos até o primeiro trimestre do século 20.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook