Morre em Moscou mais velho ator do mundo em atividade

Aos 101 anos, Vladímir Zeldin foi lenda do cinema e do teatro soviético e entrou para o livro Guinness dos recordes.
Actor Vladimir Zeldin
Caminhadas diárias de 1,5 hora, independente do clima, eram segredo da longevidade de Zeldin, segundo mulher do ator. Foto:Stanislav Krasilnikov/TASS

Morreu nesta segunda-feira (31), aos 101 anos de idade, o ator russo Vladímir Mikhailovitch Zeldin, ator de teatro e cinema que marcou a era soviética.

"Vladímir Mikhailovitch morreu nesta manhã cedo. Ligaram-me do hospital onde ele estava internado. Tentaram reanimá-lo por mais de três semanas, mas não foi possível", disse à agência Tass a mulher do ator, a também atriz Ivetta Kapralova.

O nome de Zeldin entrou para o livro Guinness dos recordes como o mais velho ator em atividade do mundo.

Em seu aniversário de 100 anos, Zeldin trabalhou em um espetáculo de cinco horas de duração sem intervalos. Em sua longa trajetória profissional, ele participou de mais de 40 filmes, e tornou-se conhecido mundo afora pela atuação em títulos como "They Met in Moscow" ("Svinárka i pastúkh", 1941), "Carnival night" ("Karnavalnaia notch", 1956) e "And Then There Were None" ("Deciat negritiat", 1987).

Apaixonado pelo que fazia, o ator celebrou seus 101 anos também no palco, no Teatro Acadêmico Central do Exército Russo. Lá, ele interpretou o papel principal do espetáculo "Danças com o mestre" (em tradução livre do russo, "Tantsi s utchitelem"). Zeldin fez o papel mais de mil vezes - literalmente! - no decorrer de sua vida.

Eterno 

O lendário ator leva consigo toda uma era de teatro e cinema, dizem os colegas.

"Nós planejávamos fazer um espetáculo em seus 102 anos e, Zeldin, como sempre, era nosso motor. Ele foi como uma criança a vida toda. Pode ser que esse seja o motivo de Deus ter lhe dado uma vida tão longa", diz a diretor Iúli Gusman.

Segundo ele, Zeldin vestia seu terno de cerimônias até os últimos dias e visitava os escritórios de altos encarregados para exigir que dessem a outros que julgava necessitarem "apartamento, salário, condecorações".

"Sinceramente, é tão triste! Parecia que ele era eterno, que estaria aí para sempre", diz a atriz e vice-presidente do comitê de cultura da Duma de Estado (câmara dos deputados na Rússia), Elena Drapeko. "No palco, ele sempre esteve melhor que todos os jovens, porque havia nele uma personalidade extraordinária, que falava com a gente", diz a deputada.

A mulher de Zeldin diz que o segredo da vida longa do ator estava nas caminhadas diárias de 1,5 hora. Não importava o clima, diz ela, ele sempre fazia as caminhadas e nunca fumou.

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail? Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook