Festival de Trancoso Detsl
No ritmo da Sibéria: os instrumentos musicais de povos indígenas Chostakóvitch completaria 110 anos neste domingo

As 7 canções mais cantadas pelos russos nas festas

Há um costume na Rússia: à mesa festiva, quando já se bebeu muito, alguém começa a cantar uma balada e é logo acompanhado pelas vozes incertas dos outros comensais. A Gazeta Russa fez um ranking de canções mas cantadas na ocasião.
De Dmitri Romendik, Gazeta Russa

“Oh, ainda não é de noite”

Fonte: YouTube

Cantiga de Stepan Razin, famoso chefe cossaco que viveu no século 17 e organizou um motim no rio Volga. Ele se queixa de ter dormido mal, contando seu sonho. Foi gravada pela primeira vez por folcloristas nos Urais nos anos 80 do século 19, na versão de um velho cossaco. Interpretação do conjunto “Kazátchi Krug” (Círculo Cossaco):

“Oh frio, frio”

Fonte: YouTube

Apelo ao frio de inverno para não enregelar o viajante com o cavalo, porque em casa está esperando sua linda mulher. Nada se sabe sobre a origem da canção. A cantora Maria Morózova-Uvárova afirmou tê-la escrito em 1954. Por enquanto, ninguém contestou nem confirmou a afirmação. Interpretação do ator Valéri Zolotukhin (fragmento do filme “O Dono da Taiga”):

“Virada”

Fonte: YouTube

O que nos traz uma nova virada da estrada? E da vida? Não saberemos enquanto não darmos uma volta. “Virada” é uma das canções básicas do lendário grupo de rock “Machina Vrémeni” (Máquina do Tempo). Música de Aleksandr Krútikov, letra de Andrêi Makarevitch, ambos líderes do grupo.

“Corvo negro”

Fonte: YouTube

Mais uma canção popular cossaca. O protagonista compara sua morte com um corvo que sobrevoa em círculos. Está convencido de que, se cantar esta cantiga, a fatalidade o deixará em paz. A cantiga estreou no filme “Chapaev”, em 1934, na interpretação do ator Boris Bábotchkin.

“Encantada, enfeitiçada”

Fonte: YouTube

É uma balada enaltecendo a mulher amada. Mikhail Zvezdinski, músico de cantigas dos círculos criminosos e romances urbanos, escreveu a música para um poema do célebre poeta russo Nikolai Zabolotski.

“Relva ao pé da casa”

Fonte: YouTube

Canção do início dos anos 80, evoca a vida de cosmonautas. Em resumo: é bom voar no cosmos, mas em casa se está melhor ainda. Mesmo nas longas missões, se pensa na “relva ao pé da casa”. Compositor: Vladimir Migúlia. Autor de letra:   Anatoli Poperetchni. Fato curioso: em 2009, a Roscosmos (agência espacial russa) atribuiu à canção estatuto de hino da cosmonáutica russa. Interpretação do grupo “Zemliáne” (Terrestres):

“As noites russas são tão deleitosas”

Fonte: YouTube

Canção enaltece a natureza da Rússia, sobretudo na altura do pôr do sol;  transmite uma nostalgia da Rússia fidalga do século 19, quando a aristocracia tinha boa vida. Oficiais bebiam champanhe e dançavam com damas nos bailes. Foi composta no final dos anos 90. Música: Aleksandr Dobronravov. Letra: Viktor Pelenhagre. Cantada pelo grupo “Béli Oriól” (Águia Branca):

“Tudo estará bem”

Fonte: YouTube

Tudo estará bem, sobretudo se festejarmos, “bebermos um pouco juntos”. Canção de Andrêi Danilko, ator e músico de Kiev, envergando uma cômica imagem feminina de Verka Serdiútchka. Em 2007, Andrêi ocupou o segundo lugar no Festival da Eurovisão (com outra canção).

Confira outros destaques da Gazeta Russa na nossa página no Facebook

3 de janeiro de 2017
Tags: rússia, ano novo, tradição

leia mais

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook