Arqueólogos descobrem fortaleza grega de 2.000 anos na Crimeia

17 de agosto de 2016 Vesti.ru
Torre e muralhas foram achadas durante escavações nos arredores de Kerch. Artefatos da época e sepulturas também foram encontrados em região que receberá gasoduto.
Ruínas foram achadas perto da aldeia de Gornostaievka, a 1.600 km de Moscou Foto:Instituto de Arqueologia/Academia Russa de Ciências

Arqueólogos da Academia Russa de Ciências descobriram uma torre de pedra bem preservada e muralhas na Crimeia que pertencem a uma fortaleza construída há mais de 2.000 anos, durante o Reino do Bósforo.

Os arqueólogos acreditam que as muralhas tenham sido construídas nos primeiros 30 anos do século 3 a.C. e, dois séculos depois, já durante o reinado de Asander, fortificadas com torres de vigia.

Segundo os especialistas, a muralha protegia as colônias gregas no Reino do Bósforo e sua capital, em Panticapaeum (atual Kerch), dos citas, antigo povo que governava grande parte da Crimeia.

Além da torre e das muralhas, os cientistas descobriram uma fazenda repleta de buracos contendo inúmeros artefatos da época.

Também foram encontradas algumas sepulturas, incluindo um túmulo antigo de uma mulher com um jarro e uma placa, um espelho de bronze, pérolas e brincos.

As descobertas foram feitas durante escavações na península de Kerch, como parte dos preparativos para a construção de um gasoduto ligando a região de Krasnodar (na Rússia continental) à Crimeia.

Publicado originalmente pelo site Vesti.ru

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia no seu e-mail?      
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook