Monumento a bailarina Maia Plissétskaia é inaugurado em Moscou

22 de novembro de 2016 Oleg Krasnov, Gazeta Russa
O compositor Rodion Schedrin, marido da famosa bailarina russa, apresentou estátua no dia em que Plissétskaia comemoraria seu 91º aniversário.
Segundo escultor, Plissétskaia viu esboços da escultura antes de morrer Foto:Artiom Gueodakian/TASS

Um monumento a Maia Plissétskaia foi inaugurado na rua Bolshaya Dmitrovka, em Moscou (a uma curta distância do Teatro Bolshoi), no domingo passado (20), data em que a famosa bailarina russa teria completado 91 anos.

A escultura de Víktor Mitrochin retrata Plissétskaia em uma de suas peças mais conhecidas, “Carmen”. Este papel é não só responsável por alçá-la ao cenário internacional, mas foi por causa dele que a bailarina iniciou uma amizade com estilista Pierre Cardin. “Eu a vi em Carmen e me apaixonei à primeira vista”, disse.

A participação de Mitrochin na produção da escultura também não foi aleatória. Plissétskaia o conheceu durante uma exposição em Paris, e eles se tornaram amigos.

O escultor já preparava a estátua de Plissétskaia-Carmen como presente para o 90º aniversário da bailarina, no ano passado. No entanto, a bailarina acabou falecendo seis meses antes da data, na Alemanha, vítima de um ataque cardíaco fulminante.

O monumento foi inaugurado por seu marido, o compositor Rodion Schedrin, que estava por trás da ideia de erguê-lo, bem como pelo chefe do Teatro Mariinsky, Valéri Guerguiev, e outros artistas da classe.

Em seu discurso, Schedrin revelou ter esperança de que o pequeno parque perto do monumento a sua falecida esposa se torne “ponto de encontro favorito para casais apaixonados” e destacou que haveria arbustos de lilás crescendo em torno dele.

Gostaria de receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook