São Petersburgo ganha biblioteca mais cara do país

4 de fevereiro de 2017 Aleksandra Guzeva, Gazeta Russa
Com entrada por mais de 100 dólares, espaço oferece livros raríssimos. Também é possível comprar alguns dos exemplares e fazer excursão guiada.
A Alfaret publica reimpressões e fac-símiles de obras-primas russas e internacionais Foto:Divulgação

A editora Alfaret, de São Petersburgo, abriu em dezembro passado a biblioteca mais cara do país, a Capella. Uma visita de quatro horas ao espaço, cujo acervo é composto por mais de 5.000 livros raros datando do século 16 ao 19, custa 7.000 rublos (cerca de US$ 117).

O projeto gótico oferece ao visitante uma atmosfera semelhante às bibliotecas no estilo Oxford, ou um daqueles depósitos de livros descritos por Umberto Eco.

A biblioteca possui uma série de salas temáticas, incluindo livros de guerras e de viagens, e é também possível adquirir exemplares.

O preço dos livros variam, em média, entre 30 mil e 50 mil rublos (US$ 500 a US$ 840), mas alguns são bem mais caros. O valor depende da raridade, formato, materiais utilizados e número de ilustrações, entre outros fatores.

O local dispõe de outras atrações e serviços como sessões fotográficas e excursões. Os visitantes podem ainda comprar um vale-presente, que permite uma visita de duas horas, por 4.000 rublos (US$ 67).

“Vemos como potenciais clientes as pessoas que gostariam de visitar uma biblioteca em vez de gastar a noite em um restaurante e passar algum tempo no conforto e tranquilidade de nossas instalações na companhia de um livro, ou até conduzir negociações e outras reuniões importantes em um ambiente agradável”, disse à Gazeta Russa a coordenadora do projeto, Irina Khoteshova.

Veja abaixo mais fotos dos salões internos:

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Foto: DivulgaçãoFoto: Divulgação

Quer receber as principais notícias sobre a Rússia em seu e-mail?
Clique aqui para assinar nossa newsletter.

+
Curta a "Gazeta Russa" no Facebook